Parque Nacional do Itatiaia: o manual completo

História

Na Serra da Mantiqueira (em Tupi “Gota de Chuva”), entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, habitava uma tribo, chamada Puri, pertencente do tronco linguístico macro-jê e seu território incluía toda a bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul.

Com a colonização portuguesa, essas terras tornaram-se propriedade de Visconde de Mauá e no ano de 1908 a Fazenda Federal comprou a propriedade para instalação de dois núcleos coloniais designados ao cultivo de frutas, mas não foram bem sucedidos.

Em 1913 surgiu a ideia de transformação em Parque Nacional que foi solicitada pelo botânico Alberto Lofgren e apoiada por outros botânicos, geólogos e geógrafos, numa conferência realizada na Sociedade de Geografia do Rio de Janeiro. Então, essas terras foram incorporadas em 1914 ao patrimônio do Jardim Botânico, onde havia a Estação Meteorológica de Itatiaia.

Apenas em 1937 que o primeiro Parque Nacional do Itatiaia foi criado, através do Decreto Federal nº 1713, de 14 de junho por Getúlio Vargas.

O Parque Nacional do Itatiaia (em Tupi “Pedra Pontuda”) possui duas portarias, uma na parte baixa, na cidade de Itatiaia – RJ e outra na parte alta, na cidade de Itamonte – MG, com biomas totalmente diferentes. Abriga nascentes de vários rios formadores da Bacia Hidrográfica do Paraíba do Sul.

PARTE ALTA

Caracterizada por Campos de Altitude, montanhas e afloramentos rochosos, que possuem composição mineral rara, parecidas com granito, porém tratam-se de nefelina sienito. As chuvas e os ventos esculpiram essas rochas por milhões de anos e as transformaram no incrível cenário que se descortinará assim que você chegar no Parque Nacional do Itatiaia.
A visitação é indicada no Outono/Inverno, época da Temporada de Montanha, e o Posto Marcão (portaria onde é feito o controle de entrada e saída do parque para qualquer atrativo) localiza-se na BR-485, acessada através da BR-384 (Garganta do Registro – local onde era registrado ouro que vinha de MG).

Cumes


Pico das Agulhas Negras: com seus 2.791 metros de altitude, é a 5ª montanha mais alta do país e o ponto culminante do Estado do Rio de Janeiro. É a montanha mais famosa e mais procurada do parque, e seu topo foi atingido pela primeira vez em 1919, por Carlos Spierling e Osvaldo Leal. A primeira tentativa foi em 1856 por Franklin Massena e outras tentativas que falharam foram feitas por André Rebouças em 1878 e Horácio Carvalho em 1898. Hoje existem 27 vias de escalada e a mais fácil delas é a Via Pontão, a qual utilizamos para atingir o cume.

Você fará uma caminhada de 1,3 km (a partir do Abrigo Rebouças) e uma escalaminhada de 800 metros. A sensação de conquistar seu topo não tem preço! É algo que você deveria fazer ao menos uma vez na vida! A vista panorâmica de lá de cima é de tirar o fôlego, você avistará o Vale do Paraíba, o Pico do Papagaio, a Pedra Selada, os Três Picos e o Prateleiras, além de uma coleção de serras e morros de Minas! Há limite diário de 80 pessoas para escalar ou escalaminhar o Agulhas, então para garantir sua vaga, você deverá chegar por volta das 05:00 horas e aguardar a abertura do parque às 07:00 horas. Se você não possui experiência em escalada, será necessária a contratação de um guia.

• Maciço das Prateleiras: composto por grandiosos blocos de rochas, o Prateleiras é a segunda montanha mais procurada do parque. Para atingir o topo, você caminhará por 2,2 Km (a partir do Abrigo Rebouças) e fará uma escalaminhada de 300 metros. Sua altitude é de 2.539 metros e a vista 360º de seu cume permitirá uma linda vista do Vale do Paraíba, da Serra Fina e do interior do Parque Nacional. Há limite diário de 80 pessoas para escalar ou escalaminhar o Prateleiras também, então garanta sua vaga chegando por volta das 05:00 horas. Se você não possui experiência em escalada, será necessária a contratação de um guia.

• Morro do Couto: localizado ao lado do Prateleiras, com seus 2.680 metros de altitude, o Morro do Couto ocupa a 8ª posição como elevação rochosa mais alta do Brasil. Para atingir seu cume, você fará uma caminhada de 3 km (a partir do Posto Marcão) e uma escalaminhada de aproximadamente 50 metros. O seu topo revela uma magnífica vista para o Vale do Paraíba, Represa do Funil, Serra Fina e o interior do parque! Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa montanha apenas até às 14:00h.Se não possui experiência em escalaminhada será necessária a contratação de um guia.

• Pedra do Altar: com 2.665 metros de altitude, é a 12ª montanha mais alta do Brasil e para chegar em seu topo, basta caminhar por 3 km (a partir do Abrigo Rebouças). Do seu cume é possível avistar o Maciço das Prateleiras, o Agulhas Negras, a Asa de Hermes e todo o interior do Parque Nacional do Itatiaia. Em sua face oeste há várias vias de escalada. Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa montanha apenas até às 11:00h. Se você tiver experiência em trilhas, pode ser facilmente acessada sem acompanhamento de guia.

• Asa de Hermes: é uma surpreendente formação rochosa, em forma de “asa” (como a asa do capacete do Deus Hermes), que se equilibra em um gigantesco maciço rochoso! Para chegar até seu cume são aproximadamente 2 km de caminhada e 1 km entre um “pula pedras” e escalaminhada (a partir do Abrigo Rebouças). Você irá se deparar com paisagens maravilhosas, que irá guardar para sempre em sua mente! Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa montanha apenas até às 10:30h. Se você não possui experiência em escalaminhada, será necessária a contratação de um guia.

• Chapada da Lua: localizada no Maciço do Agulhas Negras, é um local pouco frequentado e de beleza ímpar!!! Após caminhar 6 km do Posto Marcão você atingirá o topo, que possui inúmeras pequenas crateras na rocha e guarda um dos livros de cume do maciço, a 2670 metros de altitude. O visual é simplesmente incrível! Há limite diário de 60 pessoas, não é um roteiro tão procurado, mas o ideal é você chegar antes das 7:00h. Se você não possui experiência em escalaminhada, será necessária a contratação de um guia.
Obs: há a opção de voltar pelo mesmo caminho ou se aventurar pela “Via Formigueiro”, onde você passará em buracos no meio da montanha e sairá próximo ao 1º trecho de corda do Agulhas.

• Pedra do Sino: elevação rochosa em forma de um enorme sino, localizada na porção mineira do Parque Nacional do Itatiaia, é a menos visitada. Ocupa a 9ª posição, com 2.670 metros de altitude. Seu cume também possui várias pequenas crateras e a vista é estonteante! Você conseguirá atingi-lo após uma caminhada de aproximadamente 9 km a partir do Posto Marcão. Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa montanha apenas até às 9:00h. Aconselhamos a contratação de um guia, pois o caminho é pouco demarcado.

Foto: Giuliano Corrêa

• Pedra Assentada, Pedra da Maçã e Pedra da Tartaruga: intrigantes formações rochosas que ficam nos arredores do Maciço das Prateleiras, que suas bases são alcançadas através de uma caminhada de aproximadamente 3 Km (a partir do Abrigo Rebouças). Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essas formações apenas até às 10:30h. Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia. Obs: para chegar na base da Pedra Assentada será necessário escalaminhar e para atingir seu cume, escalar.

Bases


• Base do Agulhas Negras: se você prefere uma caminhada mais tranquila, poderá ir para a Base do Agulhas Negras, até um pequeno riacho, que separa o trecho da caminhada do trecho da escalaminhada. Alcançará a base caminhando 1,3 Km do Abrigo Rebouças. Não há limite de pessoas, mas você poderá fazer essa trilha apenas até às 13:00h. Pode ser acessada facilmente sem acompanhamento de guia.

 

Base do Prateleiras: percorrendo 2,2 Km do Abrigo Rebouças você chegará na base do Prateleiras, de onde se tem uma majestosa vista para o Vale do Paraíba e para a Serra Fina. Há limite de 120 pessoas por dia e você poderá fazer essa trilha apenas até às 12:00h. Pode ser acessada facilmente sem acompanhamento de guia.

Circuitos

• Couto x Prateleiras: uma caminhada de 12 km (a partir do Posto Marcão), onde você atingirá o cume do Couto e seguirá em direção ao Prateleiras. Vistas deslumbrantes dos Campos de Altitude, do Vale do Paraíba, incríveis formações rochosas, como a Toca do Índio e a vegetação que você só verá lá no Parque Nacional do Itatiaia! Não há limite de pessoas, mas você poderá realizar esse circuito apenas até às 10:00h. Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

Cinco Lagos: nesse circuito, além de paisagens estonteantes, você verá pelo caminho cinco lagos, sendo que os menores congelam sua superfície em dias muito frios. Durante a caminhada você também avistará a Pedra do Altar, Asa de Hermes, Agulhas Negras, Prateleiras e Morro do Couto. Nessa aventura você caminhará 12 km (a partir do Posto Marcão) em trilha e sobre lajedos enormes. Não há limite de pessoas, mas você poderá realizar esse circuito apenas até às 11:00h. Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

Cachoeiras

Cachoeira das Flores: localizada a 500 metros do Abrigo Rebouças a Cachoeira das Flores possui uma bela piscina natural para banho, com águas cristalinas e gélidas. Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa cachoeira apenas até às 14:00h. Pode ser acessada facilmente sem acompanhamento de guia.

Foto: Tiago de Pellegrini Korb

Cachoeira do Aiuruoca: que em Tupi significa “Casa de Papagaios”, é uma cachoeira com 20 m de queda, águas cristalinas e geladas, formada pelo Rio Aiuruoca. Uma caminhada de 6 km (a Partir do Posto Marcão) te levará até a cachoeira e no caminho é possível avistar os Ovos da Galinha, curiosas formações rochosas arredondadas, assentadas em uma grande rocha. Não há limite de pessoas, mas você poderá visitar essa cachoeira apenas até às 10:00h. Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

Travessias


Ruy Braga: a travessia mais clássica do Parque Nacional do Itatiaia, do Posto Marcão à Sede, na parte baixa do parque em Itatiaia/RJ. Esse é o caminho do que seria a BR-485, que cruzaria o parque, mas sua construção não foi levada adiante. Uma caminhada que totaliza 22 km de belíssimas paisagens e a passagem pelo antigo Abrigo Macieira. Conhecida anteriormente como Rebouças-Sede, foi renomeada em homenagem a um montanhista, que foi presidente do GEAN, Grupo Excursionista Agulhas Negras. Segundo consta, ele gostava muito dessa Travessia, a qual percorria várias vezes na semana e após seu falecimento, o nome foi oficializado. Essa travessia é permitida em ambos sentidos, com limite diário de 26 pessoas. Pode ser feita com pernoite (Abrigo Água Branca ou Abrigo Massena) ou em um único dia, dando início até às 10:00h (sem reserva). Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

Travessia Rancho Caído: através de uma caminhada de 27 km você irá do Posto Marcão até a Cachoeira do Escorrega, na Vila de Maromba/Visconde de Mauá. Paisagens magníficas e formações exóticas como os “Ovos da Galinha” farão parte desse percurso e você também poderá dar uma desviada rápida para a Cachoeira do Aiuruoca. O calmo e incrível Vale dos Dinossauros permitirá uma vista única para o Agulhas Negras e Asa de Hermes e a longa descida, chamada de Mata Cavalo será o último trecho da aventura. Essa travessia é permitida apenas no sentido Rebouças-Mauá, com limite diário de 26 pessoas. Pode ser feita com pernoite (Rancho Caído) ou em um único dia, dando início até às 10:00h (sem reserva). Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

 

Travessia Serra Negra: você percorrerá 36 km, do Posto Marcão até Santa Clara/Visconde de Mauá. Essa é a mais longa das travessias, você passará pela Cachoeira do Aiuruoca, seguindo na mesma direção em que corre o Rio Aiuruoca, até encontrar o antigo caminho, onde há duas cabanas de madeira. Essa travessia é permitida apenas no sentido Rebouças-Mauá, com limite diário de 40 pessoas. Pode ser feita com pernoite (pousadas particulares) ou em um único dia, dando início até às 10:00h (sem reserva). Se não possui experiência em caminhar em locais com rochas, onde o caminho não é muito demarcado, será necessária a contratação de um guia.

Obs:
• Você conseguirá fazer o agendamento para realizar as travessias, o que garante sua vaga. Com agendamento as travessias deverão iniciar até às 09:00h.
• Travessia com pernoite é exigido o shit tube.

PARTE BAIXA

Formada pela exuberante Mata Atlântica, com inúmeras caudalosas cachoeiras de águas cristalinas que descem as serras rochosas, compondo enormes poços para banho.
A visitação é indicada o ano todo, exceto em épocas de chuvas intensas que são propícias para trombas d´água. O horário de visitação na Parte Baixa é das 8:00h às 17:00h.

Cachoeiras

Todas com acesso fácil e trilhas curtas.


Lago Azul: localizado a 500 m do Centro de Visitantes, é uma relaxante piscina natural formada pelo Rio Campo Belo.

Cachoeira do Itaporani: (em Tupi “Rio da Pedra Bonita”) localizada no final da estrada, a 4 km do Centro de Visitantes, está uma das mais belas cachoeiras do parque. Suas águas correm por enormes rochas e caem numa piscina natural cristalina. Com apenas 640 metros de caminhada você chegará na Cachoeira do Itaporani.

Cachoeira Véu da Noiva: da trilha para a Itaporani, o caminho se bifurca e em 260 metros você atingirá uma incrível cachoeira com 40 metros de altura.

Poção do Maromba: um enorme poço para banho a 1.100 metros de altitude, fica a 50 metros do final da estrada.

Cume

Foto: Carla Maronezi

Três Picos: você percorrerá íngremes 7 km por dentro da Mata Atlântica. De seu cume você avistará o vale do Rio Paraíba, a Serra da Mantiqueira e parte da Serra do Mar. Preencha o termo de responsabilidade na portaria do parque. O ideal é chegar às 08:00h.

Demais atrativos


Mirante do Último Adeus: uma linda vista para o Vale do Rio Campo Belo e para a Mata Atlântica. Localizado na estrada entre o Centro de Visitantes e as cachoeiras.

Centro de Visitantes: possui uma maquete do parque, acervo botânico, zoológico e petrológico (rochas), exposição e história sobre montanhismo, uma sala que apresenta filmes sobre o parque e a calçada da fauna, com pegadas de diversos animais.

Pedra da Fundação: marco do 1° parque nacional no Brasil.

Tanto na Parte Alta, quanto na Parte Baixa é cobrado ingresso por pessoa e estacionamento. Levar dinheiro em espécie.  Em caso de dúvidas, acesse o site do parque.

Com mais de 25 atrativos o Parque Nacional do Itatiaia agrada a todos! Escolha seu destino e viva uma experiência única e inesquecível!

Contato

Marque sua próxima viagem

Precisa de mais informações?

Entre em contato agora mesmo






Fale Conosco

Entre em contato que nós iremos tirar todas as suas dúvidas e fazer sugestões para melhorar ainda mais a qualidade do seu passeio.

  • Telefone:
    (11) 97453-5850
  • Email:
    contato@trilhegal.com.br